500 Anos de Reforma Protestante, e Agora?

Reforma Protestante:

A Igreja Reformada, sempre reformando de acordo com a Palavra de Deus
Ecclesia reformata et semper reformanda secundum verbum Dei

Já se passaram 500 anos (Reforma Protestante) desde que Martinho Lutero fixou na porta da igreja que ficava no castelo de Wittenberg suas 95 teses contra os abusos do clero romano, as indulgências, o purgatório, etc. O intuito disso era fazer com que a
Igreja se voltasse para os princípios da Palavra, de tal forma que até os dias atuais continua ecoando a Sola Scriptura, Sola Gratia, Sola Fide, Solus Christus e Soli Deo Gloria.

É imperioso que se reflita os propósitos da fidelização aos princípios e valores que estamos vivendo nos dias atuais. Cinco séculos depois é possível afirmar que temos hoje uma Igreja Reformada e em constante reforma? É necessário olharmos para tudo isso, e analisarmos em uma ótica missionária onde tudo começa na Missio Dei e tudo converge para glória de Deus (Soli Deo Glória). É justamente por causa dessa missão que Deus se revela ao mundo através de sua Palavra (Sola Scriptura), é na Palavra de Deus que compreendemos sua missão, o próprio Cristo (Solus Chistus) veio ao mundo por causa desta missão.

Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens (2 Co 5.19).

Tal situação pecaminosa do mundo exige a salvação mediada pela graça (Sola Gratia) e pela fé (Sola Fide), onde tudo que fazemos para Deus como instrumento e agente seu é no cumprimento desta missão de fazer seu nome conhecido e glorificado no mundo.

Para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao vosso Pai que está nos céus (Mt 5:16).

Reforma Protestante e o Contexto Social

Em nosso contexto social, temos sido diariamente bombardeados por uma série de dilemas éticos e morais, que indicam que os caminhos apontados pela sociedade atual ou pela cultura vigente são bem diferentes daqueles apontados pelos princípios e valores cristãos. Deparamos-nos com perguntas sobre família, casamento, divórcio, gênero, vida ou morte, dinheiro, direitos, guerras, ecologia, pornografia etc. enfim, muitas perguntas. No contexto religioso vemos o liberalismo teológico pondo em dúvida a autenticidade da Palavra de Deus, o sincretismo religioso em que práticas pagãs têm sido assimiladas a um evangelho sem cruz, nossos púlpitos tem sido tomado por uma mensagem antropocêntrica e utilitarista e nossos cantores tem cantado musicas triunfalistas onde o alvo não é mais a glória de Deus e sim o ego humano a fim de que possam sair-se bem no mercado.




Diante de tudo isso, vemos que é imprescindível que a Igreja se volte para a Bíblia, a Palavra de Deus, como nossa única e infalível regra de fé e prática e não somente isso, mas que possa assumir sua identidade missionária que a
caracterizou nos primeiros séculos, sabendo que nosso objetivo não é sermos populares nem aceitos no mundo, pelo contrário, é sermos porta vozes de um Deus cujo propósito final é reconciliar toda a humanidade para Si mesmo. A
Igreja desempenha um papel importante nesse nobre esforço. Deus a comissionou para pregar e para batizar aqueles que acreditem nessa mensagem.

Portanto, ide, ensinai todas as nações ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. (Mt 28.19-20).

Para tanto, é necessário que a igreja busque cada vez mais ser cheia do Espírito Santo e o tenha como companheiro na realização dessa obra, como aquele que assim como na igreja primitiva, irá de igual forma nos direcionar no cumprimento dessa missão, fazendo-nos sensíveis às necessidades dos que estão perdidos e despertando-nos para o cumprimento desta mesma tarefa até que Cristo volte.

Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo e ser-me- eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra. (At 1.8).

Maranata!

Genilson Alves
Presbítero e líder de Missões na ADPEL- Vila Sul (Assembleia de Deus campo Pedro Ludovico);
Professor de EBD e do núcleo do Instituto Bíblico das Assembleias de Deus congregação Vila Sul- IBASP.
Graduando em Teologia pela faculdade Assembleiana do Brasil – FASSEB.

Leia também: Suas Palavras dão Vida!
Leia também: Pequenas Ações Geram Grandes Mudanças!




500 Anos de Reforma Protestante, e Agora?
Classificado como:        

Uma opinião sobre “500 Anos de Reforma Protestante, e Agora?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *